Arquivo mensal: setembro 2011

Quando os leões podiam voar

O leão, segundo se conta, tinha a capacidade de voar, e naquele tempo nada escapava dele.  Como ele não queria que os ossos de suas presas fossem quebrados em pedaços, ele fez com que um par de corvos brancos os vigiasse, deixando-os para trás no seu covil, enquanto ele caçava Um dia, porém, Sapo Grande foi até lá e quebrou todos os ossos em pedaços e disse: “Por que os homens e animais não tem o direito de viver?” E acrescentou estas palavras: “Quando ele vier diga a ele que eu vivo naquele lago, se ele quiser me ver, ele deve vir aí.”

O Leão, que estava caçando na floresta, tentou voltar para casa e  descobriu que não podia mais voar. Ele se encheu de raiva e pensou que alguma coisa no covil  estava errado. Quando ele chegou em casa, perguntou: “O que vocês fizeram para que eu não voasse?” Então, os corvos responderam: “Alguém veio aqui, quebrou os ossos em pedaços e disse: “Se ele me quiser me ver,  pode procurar por mim naquele lago lá longe!”

O Leão foi até lá e quando chegou o sapo estava sentado na margem. Ele tentou saltar furtivamente em cima dele, mas quando ele estava prestes a pegá-lo, o Grande Sapo disse: “Ah!” e mergulhou. O sapo nadou até o outro lado da piscina e ficou la´sentado. O leão ainda tentou persegui-lo, mas como não conseguiu apanha-lo, retornou para o covil.

A partir desse dia, se diz, o Leão caminhou somente sobre seus pés, e também começou a se arrastar (quando espreitava e caçava. Quantos aos Corvos Brancos tornaram-se totalmente mudos desde o dia em que disseram: “Nada pode ser dito sobre esse assunto.”

Fonte: http://www.sacred-texts.com/afr/saft/sft37.htm

Mais contos sobre leões: Sacred-Texts

 

Anúncios