O Rio das Almas Perdidas

rio Purgatório. Foto por Chris M

Nos dias em que a Espanha dominava a costa oeste um regimento de infantaria foi ordenado a partir de Santa Fé para abrir um caminho de comunicação com a Flórida e  levar um baú de ouro para o pagamento dos soldados em St. Augustine.

Durante o inverno, eles ficaram confortavelmente instalados no acampamento de Trinidad, junto com suas esposas e famílias. Mas quando chegou a primavera,  as mulheres e outros ficaram, enquanto que as tropas marcharam ao longo do canion de Purgatoire – mas nem chegaram ao seu destino, nem voltaram.

Será que eles tentaram descer as corredeiras de barcos e naufragaram nas águas?  Eles foram arrastados para a eternidade por uma inundação? Será que eles perdem as suas provisões e morreram de fome no deserto? Será que os índios se vingaram da brutalidade e egoísmo, matando-os durante a noite ou em uma emboscada? Eles foram mortos por bandidos? Será que eles afundam na areias movediças que transformam o rio em canais subterrâneos?

Talvez ninguém nunca descubra, mas muitos anos depois, um nativo disse a um padre em Santa Fé que o regimento tinha sido cercado por índios, como o regimento de Custer foi em Montana, e os homens foram mortos um po um. Vendo que a fuga era impossível, o coronel – disse então o narrador – mandou enterrar o ouro que ele transportava. Se acredita que milhares de dobrões estão escondidos no cânion, e milhares de dólares foram gastos na procura por eles.

Após semanas se tranformarem em meses e meses em anos,  nenhuma palavra se ouviu do regimento desaparecido, e os sacerdotes o charam de “El Rio de Las Animas Perdidas” – o Rio das Almas Perdidas.  O eco das águas que caem através do canion é o lamento das tropas. Caçadores franceses suavizaram a sugestão do título espanhol, quando renomearam para Purgatoire, e  os “bullwhackers”(1) conduzindo suas caravanas através das planícies mudaram o título francês  para o inexpressivo “Picketwire” (2). Mas os latinos mantêm a tradição viva e muitos faziam preces e ainda fazem por todos aqueles que desapareceram misteriosamente no vale de Las Animas.

Notas:

(1) Bullwhacker

A pessoa que conduz caravanas era chamada de bullwhacker. Alguns eram mulheres. Bullwhackers foram assim chamados porque chicoteavam (whack) os touros para que eles andassem. As carroças traziam suprimentos para milhares de mineiros e eram puxados por bois.

(2) Picketwire é uma palavra meio sem sentido, wire é fio, e picket pode significar sentinela ou um poste de uma cerca. O site http://teamvelveeta.tom-purvis.com/2009_04_01_archive.html traz imagens muito boas do cânion Picketwire e dá uma idéia de como o local é solitário e misterioso. Vale dar uma conferida.

Fonte:

Charles M. Skinner. Myths and Legends of Our Own Land, 1896.

http://www.legendsofamerica.com/ah-lostsouls.html

http://www.sd4history.com/unit5/freightingbullwackers.htm

www.exploresoutheastcolorado.com/picketwire.htm

http://www.losttreasure.com/content/archives/treasure-purgatoire-canyon

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em setembro 10, 2010, em casos reais, espanha, estados unidos, lendas e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: