Os Nio Os Reis Benevolentes

Há diversos tipos de barreiras simbólicas e reais que existem nos templos, com o objetivo de protegê-los tantos dos seres sobrenaturais, como demônios, como de pessoas mau intencionadas, como ladrões. Duas estátuas, muito comuns em templos da China, Coréia e Japão, reperesentam os Deus Benevolentes ou Nio.

Eles são retratados como deuses de aparência forte, um deles extremamente ameaçador, às vezes armado e o outro mais contido, embora também retratado de forma a amendrontar quem quer que seja.

Os Niō (Deuses Benevolentes ou Deuses Benévolos),  seriam dois deuses e  são encontrados no porta da maior parte dos templos budistas japoneses.  No Japão, o portal de um templo é chamado muitas vezes de Nio-mon (literalmente portal dos Nio). Também há os templos que em vez de deuses de aparência humana  usam dois seres míticos Shishi Lion-Dogs com aparência de cachorro ou talvez de cães com trejeitos leoninos – um com a boca aberta e outro, com a boca fechada.(1)

Os mais famosos Niō do Japão são encontrados em Nara no templo de Tōdaiji. Essas estátuas foram esculpidas em 1.203, pelo famoso escultor Unkei.

Nota-se que um deles está de boca aberta e outro de boca fechada. Eles estão emitindo um som cósmico. O som representa o início e o fim, a vida e a morte.

“Agyo” é o deus de boca aberta, ele está dizendo “ah,” significando nascimento do universo. Também é chamado de Agyō, Agyo, Agyou, Naraen Kongō, Kongō Rikishi.

Ah” é o primeiro som do alfabeto japonês, enquanto que o “n” (pronounced “un” ) é o último, então eles simbolicamente representam o alfa e o ômega na danç cósmica da existência. Em sânscrito “Ah” é a primeira letra, mas a última é  “Ha.”

“Ungyo” está de boca fechada,  ele diz “un” ou “om,” significando a morte do universo. É também chamado Ungyō, Ungyo, Ungyou, Misshaku Kongō, Misshaku Rikishi.

Também são considerados manifestações de Vajrapani(2), Vajradhara Vairocana (Dainichi Nyorai) para os esotéricos e até  do deus hindu Vishnu. Bodhisattva Vajrapāṇi é uma divindade protetora do panteão Maaiaana ou mahayana. A filosofia maaiana pode ser descrita como uma estrutura religiosa e fislófica vasta. É uma das principais tradições do budismo, além da tetraveda. É equivalente a Guhyapāda(3).

Em algumas lendas, eles seriam protetores de Buddha em suas viagens pela India.

Notas:

(1) Otutros termos japoneses para os guardiães incluem  Kongo, Kongou, Kongō, Rikishi, Kongo Rikishi, Kongō Rikishi, Shitsukongō-shin, Shukongōshin Niten e Niōson.

(2) Vajrapani, na tradição Sutra do budismo mahayana Vajrapan é um oito filhos “adotivos” de Shakyamuni Buda e é retratado com uma aparência pacífica. Na tradição do budismo vajrayana, ele é retratado como uma figura furiosa e mais conhecido como Guhyapati – O Senhor dos Segredos. Historicamente ele é o principal receptáculo e protetor dos textos tântricos e ensinamentos do Buda Shakyamuni – o Buda histórico (na forma de Vajradhara).

(3) “Guhyapada”  significa protetor do Dharma Protector, em sânscrito. De acordo com o Maha-ratnakuta-sutra no capítulor 8, “Guhyapada” nasceu como um príncipe de nome “Fa Yi”. Ele pediu para ser transformado em macaco assim ele ficaria mais perto de  Buddha. O tempo passou e ele se tornou o líder dos protetores Vajra.

http://www.himalayanart.org/search/set.cfm?setID=169

http://worldvisitguide.com/oeuvre/O0034308.html

http://www.onmarkproductions.com/html/nio.shtml

http://www.buddhist-artwork.com/html/nio-statues.html

http://www.art-and-archaeology.com/japan/horyuji2.html

http://www.flickr.com/photos/alberttnt/4072070288/

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s