Skinwalkers

Essa estória aconteceu no Arizona há 20 anos atrás, mais ou menos de ano de 1983. Frances e sua família, haviam se mudado para o Arizona em 1978. Eles costumavam fazer viagens para rever parentes e amigos. Numa dessas ocasiões, estavam ela, seus pais e seu irmão mais novo em sua pick-up, estrada era a Route 163, que atravessava a reserva Navajo e a cidade de Kayenta, de onde se poderia ver o Parque Navajo em Monument Valley. O lugar é cercado de lendas e é muito temido pelos navajos, principalmente à noite. Diz-se que certas criaturas perambulam por lá.

Um navajo com roupas cerimoniais, incluindo máscara e corpo pintado

Quando eles voltavam atravessando a reserva, France sentiu um estranho nervosismo, talvez por causa das estórias estranhas a respeito do vale. Era uma noite de verão, por volta de 10 horas e não havia lua, deixando a noite ainda mais escura. De repente, o pai de Frances sentiu que estavam sendo seguidos.

Quando Frances e mãe olharam pelo retrovisor viram as luzes de outro carro e disseram que não era nada de mais. Era bem melhor que estivessem na companhia de outras pessoas, caso necessitassem de ajuda.  Algum tempo depois, já que estava trovejando, chamou o irmão mais novo que estava na parte de trás da pick up, para que entrasse, abrindo o vidro da traseira da cabine. Mas foi então que notou que as luzes (do carro talvez) continuavam a segui-los. As luzes desceram o morro até desaparecer, ela ficou esperando para que elas surgissem, mas não reapareceram. O carro já deveria ter subido o morro…

O pai de Frances teve de diminuir a velocidade porque estavam atravessando uma parte perigosa da estrada. Ela ficou preocupada por eles estarem andando tão devagar agora, o seu instinto estava dizendo que alguma coisa estava errada… De repente ela gritou. Tinha visto algo lá fora.

Institivamente segurou a porta para que não se abrisse e protegeu seu irmão com o corpo, sem saber exatamente porquê.

O irmão gritava querendo saber o que era e o pai estava mortalmente assustado e ela jurava que nunca tinha visto o pai assustado em toda a sua vida. Ele estava branco. Sua mãe estava tão assustada que ela gritava em sua língua nativa, o japonês.

Alguma coisa (1) tinha aproveitado que eles estavam devagar e agarrou um lado do carro, puxando eles para a vala no lado da estrada, o pai de Frances freiou para evitar que eles caíssem. Ela viu o que era.

A coisa era preta, peluda e usava roupas humanas. Seus olhos eram amarelos e sua boca estava aberta. Estava na mesma altura que eles na cabine, encarando-os. Se era um homem, era um monstruoso. Seus braços estavam levantados, quase tocando o topo da cabine. Mas logo deixaram a criatura para trás.

Assim que eles chegaram a um posto, se acalmaram. O pai verificou se havia indícios de ataque, mas incrivelmente não havia nada, nem pelo, arranhões,qualquer marca. Eles continuaram até sua cidade de  Flagstaff.

Mas quando eles pensaram que tudo tinha acabado, por volta de 11 horas da noite, alguns dias depois, Frances e seu irmão acordaram com sons de tambores. Tentaram ver o que era no quintal, e os tambores foram aumentando até que três ou quatro coisas apareceram, tentando pular a cerca do quintal. Não conseguindo, eles começaram a cantar.

Frances procurou sua amiga navajo para tentar entender o que aconteceu. Ela explicou que eles eram skinwalkers, e tentaram atacar sua família. Diz-se que eles não atacam seres humanos, principalmente não nativos. Nesse caso, eles não conseguiram porque algo os protegeu. Parece que os skinwalkers queriam a família porque eles tinham algum tipo de poder. Frances explicou que sua família são conhecidos por serem sensitivos. Talvez isso tenha atraído os skinwalkers a tal ponto deles se arriscarem a serem visto, já que dizem que eles procuram se esconder de todos.

A amiga navajo abençoou a casa, o perímetro e família para evitar novos ataques. A partir daí eles evitaram passar por Kayenta, passando por outras cidades da reserva para viajar.

extraído de: http://paranormal.about.com/od/othercreatures/a/aa061801.htm

Notas:

1) Os skinwalkers são poderosos feiticeiros que podem se transformar em qualquer animal que quiserem. Há lendas em que pessoas viram skinwalkers com enormes olhos vermelhos e aparência monstruosa de alce. Eles são muitos temidos e dizem que roubam corpos humanos para fazer suas poções. Outros dizem que trituram os ossos para esse fim.

Eles seriam então correlacionados às criaturas lendárias que tem poder de transformação, como o lobisomem, vampiro, o loupgarou e o rugaru.

– Existe um filme com o nome de Skinwalkers, datado de 2.006. Trata-se da estória de criaturas que comem carne humana e andam à velocidade da luz (isso seria um wendigo, não um skinwalker).  O filme conta a estória de lobisomens e de um garoto meio-lobisomem que vai se transformar na lua cheia do seu 13º aniversário… Skinwlakers não são lobisomens, e sim feiticeiros. A única coisa em comum é a metamorfose.

Mais sobre lobisomens:

https://casadecha.wordpress.com/2009/05/26/o-mito-do-predador/

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em março 9, 2010, em contos, estados unidos, lendas, seres míticos e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: