Arquivo mensal: setembro 2009

O fantasma de Ruthven Barracks

800px-Ruthven_Barracks

À medida que você desce a Rua Queen e você vê Ruthven Barracks (Barrack significa quartel), você poderá ver o fantasma que aparece todo dia 1 de setembro e anda por toda a área, que muito antes do edifício se construído, foi acidentada e cheia de cardos. A construção desse local foi ordenada após a batalha de 1746, com o objetivo de melhor vigiar o sul da Escócia. Também é dessa época a abolição do uso do kilt, visto que ele era considerado um dos símbolos dos orgulhosos highlanders.

Use a imaginação e volte para o tempo da Batalha de Culloden, para o Pântano de Drumossie. Era 16 de abril de 1746. O dia estava triste. Uma neve fina era soprada por um vento forte. A batalha estava terminada em poucas horas. Os highlanders famintos, sobre o comando de Lord George Murray, estavam exaustos por causa da longa marcha antes da batalha. As cartas que ele escreveu para sua mulher e filha diziam que suas forças não eram páreo para o “casaca vermelhas” do duque de Cumberland.

Três filhos de MacGregor Callum, James & John de Glengairn estavam servindo no regimento de Monaltrie. John, de 16 anos, estava ferido no campo e foi morto pelos ingleses, enquanto seus irmãos observavam tudo de um esconderijo sob as árvores. No caminho para casa James morreu, deixando Callum sozinho. Ele era um homem bonito, bom espadachim e tinha uma faca. Ele era casado com uma moça chamada Nettie, mas poucos sabiam de seu casamento porque ela não era católica como os MacGregors.

Eles tinham o costume de se encontar em um bosque onde hoje se encontra Ruthven Barracks e Callum prometeu que ele voltaria lá,. Toda noite, uma hora antes da meia-noite, ela esperava por ele.

Depois de Culloden, casas foram incendiadas, inclusive o lar dos Macgregor em Glengairn. Ballater não existia nesta época. Nettie visitava o bosque regularmente, trazendo sua filhinha com ela. Ela ficou mais esperançosa quando alguns highlanders começaram a aparecer no lugar. Ela ouviu que Callum estava vivo. No dia 1 de setembro ela esperou por quase uma hora. Dois soldados apareceram: um a segurou e outro roubou seu bebê. Ela gritou – e coincidência – Callum apareceu de um esconderijo nos arbustos.


Exausto e ferido, ele enfrentou o primeiro soldado e finalmente o matou. Enquanto isso sua esposa gritava e batia com as mãos no outro soldado. Este usou sua espada contra ela. Callum lutou contra ele e foi vitorioso. Ele segurou sua esposa moribunda em seus braços e jurou que ele encontraria sua filha mesmo que isso levasse toda a eternidade. Mais soldados apareceram e Callum acabou decapitado.


Cada dia 1 de setembro um highlander sem cabeça aparece, louco de fúria, cabelo em desalinho e desarrumado, com seu kilt e claymore (espada) ensaguentados, várias feridas sangrando. Ele volta para o lugar onde sua esposa morreu. Ela vêm também – com suas vestes cobertas de sangue – para encontrar seu marido. Eles se abraçam e permanecem no local – agora Barracks – até as primeiras horas da manhã, então eles vão embora à procura de seu bebê.

De acordo com a lenda, um piedoso soldado resgatou a criança e a devolveu para seus avós. Há um registro de uma criança chamada Euphemia Gordon, nome da mãe de Nettie.

fontes:

http://www.mysteriousbritain.co.uk/scotland/invernesshire/hauntings/ruthven-barracks.html

http://www.undiscoveredscotland.co.uk/ballater/ballater/index.html

fotos:

http://travel.webshots.com/album/77977625KrBrrp


Anúncios

O Casulo da Mariposa

Atlasmoth_keralaUm caçador de Queensland partiuem uma longa viagem, levando seu filho pequeno com ele. Foi difícil para o menino para acompanhar seu pai, e cada dia ele ficou mais magro e fraco. Depois vieram as chuvas. Eles caminharam sem parar, até que os rios subiram e a terra se tornou um grande pântano. O menino ficou doente. A única coisa que seu pai pôde fazer foi construir um abrigo rústico de casca e galhos de árvores para mantê-lo abrigado da chuva.  Seus suprimentos de comida tinha acabado há muito tempo, e o homem sabia que seu filho iria morrer se ele não conseguisse alimento rapidamente.

Ele enfiou o menino em um saco de dormir de pele de canguru e se embrenhou no meio do pântano em busca de caça. Não foi fácil se orientar nos terrenos alagados, mas depois de vários dias, ele encontrou um gambá e matou-o com sua lança. Ele correu de volta para o gunyah * que ele havia construído, com medo que ele pudesse encontrar seu filho morto de fome.

Ele chegou à clareira, que reconheceu pelos galhos quebrados de árvores e o montículo que aparecia acima da água, mas do gunyah e seu filho não havia nenhum sinal. Ele não conseguia entender o que tinha acontecido. Ele estava preparado tudo para encontrar o corpo do filho, mas a última coisa que ele imaginava era que ele, e gunyah que o abrigava, iria desaparecer como que por magia.

Ele se encostou numa árvore. Sua mão tateou uma ponta solta da casca e galhos no tronco.. Ele olhou para ela de braços cruzados e, em seguida, com uma súbita sensação de choque, viu que mais de perto, era uma réplica do gunyah que ele havia construído para abrigar seu filho. Dentro do casulo estava o corpo branco de um verme, e ele sabia que os espíritos tinham ficado com pena do menino e o salvaram da morte.

Desse dia em diante as larvas das mariposas sempre tem um casulo para e lembrá-las de como, há muito tempo, um pai se importou tanto com o seu filho que construiu um abrigo para ele, enquanto ele procurava por comida.

Notas:

Variedades de Dragão Chinês

Variedades de Dragão Chinês
Para a maioria das pessoas a palavra “dragão” denota um só animal. Há, no entanto, pelo menos oito espécies de animais a que se atribuem esse nome: Lung Wang, Shen Lung, Li Lung, Chiao Lung, Ying Lung, Chiu Lung, Tsao Lung e TuLung. Todos pertencem ao gênero dragão (Lung), mas cada um tem uma ou mais características que o diferencia dos demais.

Lung Wang

Por exemplo, Li Lung ou Chih Lung, como também é conhecido tem e é a única espécie possui asas. Vamos considerar agora somente a espécie Shen Lung, que é a mais conhecida. Shen Lung ou espírito dragão, seria o dragão real, mencionados desde o tempo de Yao e Shun. Dr. Williams, em seu “Reino Médio”, menciona apenas três variedades e diz que estes são, respectivamente, os dragões do céu, do mar, e de pântanos. No entanto, mas os chineses catalogam muito mais espécies

DSC09367Eles consideram que Shen Lung controla todas essas três esferas. A maioria dos outros  variedades são criaturas menores que são praticamente desconhecidas. A exceção é Wang Lung, o rei dragão. A diferença desta espécie para outras é que seus membros possuem uma cabeça de dragão e um corpo humano. Por isso é que alguns dizem que esse dragão chinês é a versão do Netuno da mitologia ocidental.
Todos os dragões verdadeiros são de dois tipos: aqueles que são de tal ordem pelo nascimento e aqueles que se

foto por: http://picasaweb.google.com/quanshijei

tornaram dragões por se transformarem de peixes das espécies carpa para dragões.

Esta variedade de dragões (originados de carpas) transformaram-se ao saltar as águas de uma catarata de um determinado córrego das montanhas ocidentais.  Um grande número de carpas faz isso uma vez por ano e  esta cachoeira é conhecida como “Portal do Dragão”. Lá elas tentam pular, mas poucas tem sucesso porque a altura é muito grande.

Esse fato, o das carpas tentarem saltar a cachoeira, é conhecido de todos os chineses, e se tornou parte da cultura popular. Há um ditado a respeito dos escolares que passam de ano que eles “passaram o Portal do Dragão”.

Essa figura é usada para ilustrar o quão difícil deve ser ultrapassar as altas águas de uma cachoeira, assim como deve ser difícil passar nesses exames… E acrescentando, é bom saber que mesmo uma carpa comum pode se tornar um poderoso dragão. Isso quer dizer que todos nós podemos alcançar um objetivo que se poderíamos ver como “impossível”.

Para finalizar temos o “dragão preguiçoso”, cuja tarefa seria conduzir nuvens de chuva pelo céu para criar chuva. Só que em vez disso, eles podem preferir mudar de tamanho até ficar pequeninos, descer até à superfície da terra e se esconder em árvores, sob telhados das casas e até em roupas de camponeses.

Quando o deus do trovão descobre que eles abandonaram seus postos, manda mensageiros procurar por eles e os extermina com rajadas de raios, à maneira do deus grego Zeus. Isso explicaria a destruição de vidas e bens durante tempestades. Tudo isso porque o Lan Lung ou dragão preguiçoso estaria se escondendo naquele local.

As cores dos dragões variam bastante, mas no caso do dragão chiao type suas costas tem uma faixa verde,  as laterais amarela, e vermelho na barriga.

As nove características de um dragão do tipo lung incluem cabeça de camelo, chifres de veado, olhos de lebre, orelhas de touro, pescoço de iguana, barriga de sapo, escamas de carpa, patas de tigre, e garras de águia. Longos caninos na mandíbula superior. A longa barba deve ter a função de tatear o caminho em locais lamacentos.

No restante, as cores variam de verde ao dourado, com uma série de espinhos longas Ou pequenas vindo das costas até a cauda, sendo maiores os da cauda. Uma espécie tem asas, e caminha sobre as águas. Outra sacode sua juba pra lá e pra cá fazendo barulhos como o som de uma flauta.

Dragões com cabeças de vaca são comuns. Um de dez pernas, encontrado nos bancos de areais de do rio Yang Tsé era diferente porque tinha sobracenlhas grossas e longas. Uma variedade do rio Yan Tsé vista nas margens em 1920 por um professor chinês era azul e grande como cinco vacas. Ambas as espécies, engatinham sobre as águas assim que começa a chover.

Fontes: http://www.crystalinks.com/chinadragons.html

HAYES, Newton. The Chinese Dragon. 3rd. Edition. 1923.

A Lenda da Princesa Sainte Enimie

Sainte-Enimie-Gorges_du_Tarn-Frankreich

Enimie era a filha do rei Dagoberto*, um merovíngio, e diziam quer era a donzela mais bela de todas. Ela era muito piedosa e desejou de todo coração se tornar freira. Infelizmente seu pai quis casá-la com um de seus muitos pretendentes, para formar uma aliança e ter vantagens daí como era comum na época. Ela se sentiu muito desgostosa e pediu a Deus que a ajudasse em suas orações. Por azar, ou sorte, ela foi contraiu hanseníase e claro, se cancelou o casamento.

Após algum tempo, talvez fruto de suas orações fervorosas, Enimie teve uma visão de uma fonte milagrosa que iria devolver-lhe a saúde. Ela reuniu um grupo de cavaleiros, e acompanhado de seu noivo e de seu pai, iniciou sua jornada. Após dias de viagem, eles encontraram ravina onde viram uma fonte jorrando da encosta e pararam para beber. Enimie bebeu e na mesma hora as chagas de sua doença começaram a se curar.

Curada, ela retornou para enfrentar o pai e noivo mas, logo que chegou à boca do desfiladeiro a doença retornou. Isso aconteceu não uma ou duas vezes, mas várias vezes, até que ficou claro para ela que Deus quis ela pra ficasse naquele lugar para viver uma vida de oração. Ela fundou uma abadia e viveu lá como abadessa até sua morte no ano de 628.

Em homenagem a ela, a aldeia passou a se chamar Sainte Enimie.

Fontes:

http://www.causses-cevennes.com/tourisme/information/Ste-Enimie2-UK.htm

http://en.sunfrance.com/discover/destinations/cities_towns_villages/the_most_beautiful_villages/sainte_enimie2

http://www.lozere-uk.com/ddl/presse/

Canibalismo e Poder

Uma da grande perguntas para quem assiste ao seriado Heroes, desde que vilão Sylar  (Zachary Quinto) fez sua aparição é: Ele é canibal? Ele come o cérebro de suas vítimas?

Sylar (o verdadeiro nome é Gabriel Gray). Um dia ele descobriu que poderia absorver a habilidades de outros “heroes” quando comia o cérebro destes… Apesar da se supor isso, nunca se viu uma cena em que ele “canibalizava” alguém. Porém quem assiste ao seriado vê que sempre que ele mata alguém a caixa craniana está aberta, mas parecendo que ele realmente praticou o canibalismo com a finalidade de se tornar mais poderoso.

sylar

Depois de algumas temporadas a personagem Mohinder concluiu que Sylar, ao examinar o cérebro das vítimas,  descobria a conexão do cérebro com o poder, assim absorvendo a habilidade das vítimas. O fato de ele ser um relojoeiro habilidoso é uma metáfora para a sua habilidade de absorção de poderes.

Mas essa idéia de comer partes humanas para sugar poder, coragem  e habilidade é nova?

Na verdade, além de usar a carne humana para matar a fome, em casos de extrema necessidade  há o canibalismo ritual, que pode ser praticado tanto pelo amor ao morto, como nos casos dos Wari no Brasil, como para adquirir o seu poder.

Nesse casos o consumo de partes humanas traria habilidades especiais a quem consome, como no caso dos “homens-leopardo” africanos. O culto ao leopardo é praticado desde  Egito Antigo, o leopardo era associado com o Deus Osíris e para muitos tribos africanas ele é um totem poderoso, que seria o guia dos mortos para outra vida.

Na África, o culto ao leopardo era praticado principalmente em Serra Leoa e Nigéria. Os membros do culto matavam suas vítimas com facas e garras de aço. Depois bebiam o sangue na frente dos outros membros. Eles acreditava que consumindo a carne e o sangue eles ganhariam superpoderes e poderiam eles mesmos se transformam em leopardos. Comer a carne de um inimigo era um meio de absorver a força vital ou o espírito deste, quanto mais corajoso mais valorizada a carne. No século 20 o culto ainda existia. Houveram várias matanças, durante a Primeira Guerra Mundial e em 1946 eles mataram 48 pessoas em um só ano.

Fora os casos citados, há várias culturas que acreditam que praticar canibalismo seria uma forma de adquirir poderes….

No caso do vilão mais amado de Heroes, talvez não seja uma verdade. Mas sabiamente os roteiristas insinuaram esse que é um dos maiores tabus da humanidade.

Notas:

Canibal:

O termo canibal deriva de Carib ou Caniba, uma tribo que supostamente praticava o canibalismo. Esse costume é muito antigo na estória humana, e tem sido encontrado entre várias pessoas na maior parte dos continentes.

O canibalismo é um assunto considerado tabu, mesmo entre os antropologistas. Quando os europeus colonizaram as Américas, eles diziam que o canibalismo era a expressão da selvageria dos povos que viviam aqui, e isso servia de justificativa para usar métodos violentos para subjugar esses povos. Por isso o papa Inocêncio IV tratou de dizer que era pecado e dizendo que todos aqueles que fossem canibais podiam ser escravizados…

Mas os próprios europeus praticavam um tipo de canibalismo. Haviam remédios feitos de sangue, que era usado para epilepsia e partes humanas (de criminosos executados) eram ingredientes para remédios contra artrite, dificuldade de reprodução e outras. Muito popular era improtar parte de múmias para a produção de medicamentos.

Canibalismo por escassez de comida:

O canibalismo pode acontecer por diversas razões, entre elas o homem pode atacar outro pela falta de outra presa. Isso aconteceu em várias ocasiões durante a estória.

Foi comprovado que durante a grande fome no Egito no ano 1064-1072 antes de Cristo. Os cruzados praticaram o canibalismo após o cerco de Ma’arrat al-Numan em 1098.

Na Europa, haviam relatos de casos de canibalismo no século 14, mas eles eram sempre desacreditados. Mas quem pode afirmar que não eram verdadeiros? O homem quando acossado pela fome, acaba por esquecer o que é socialmente aceitável e pode retornar ao canibalismo. Isso seria uma questão de sobrevivência. Por isso, a fome é sempre motivo para comer carne humana.

Nos tempos mais modernos, houveram dois casos famosos de naufrágio e prática canibal: s sobreviventes do navio francês Medusa em 1816 praticaram o canibalismo após quatro dias à deriva. Assim como os sobreviventes do balleiro Essex também concordaram com a prática.

Nos Estados Unidos, em 1870, Alfred Packer matou e comeu seus companheiros de viagem. Ele acabou sendo solto por falta de provas, mas muito tempo depois a evidência forense provou que ele realmente tinha cometidos os crimes.

Durante a Segunda Guerra Mundial, foram citados muitos casos de canibalismo entre outros entre os russos e japoneses. Na União Soviética, devido ao isolamento provocado pela guerra, muitas aldeias ficaram sem abastecimento de comida. Houveram relatos de corpos de pessoas achados sem partes da carne. Também há o casos dos militares japoneses que executaram e comeram prisioneiros norte-americanos.

Um dos casos mais famosos é do time de rúgbi uruguaio, que após a queda do avião nos Andes foram obrigados a comer carne humana. Nesse caso, até o papa os perdoou.

Links:

http://en.wikipedia.org/wiki/Carib

http://exploration.vanderbilt.edu/news/news_cannibalism_pt2.htm

http://www.unexplainedstuff.com/Secret-Societies/The-Leopard-Men.html

http://www.warriors.egympie.com.au/cannibalism.html

http://www.experiencefestival.com/cannibalism_dictionary

http://en.wikipedia.org/wiki/Cannibalism

http://en.wikipedia.org/wiki/Sylar

http://www.zacharyquinto.com/

A garotinha e o wendigo

wendigo

figura: http://zweihander2.deviantart.com/

A Garotinha e o Wendigo

Um belo dia as chaleiras começaram a tremer e todos na tribo ficaram assustados. Eles correram por toda a vila para ver se alguém era forte o bastante para enfrentar o wendigo, mas não encontraram ninguém. No fim da vila encontraram uma velinha e sua neta e a velha disse: “Alguém está vindo e vamos todos morrer.” A garotinha perguntou se alguém poderia trazer para ela um par de varas de sumac* longas como o seu braço e descascadas. Eles arranjaram as varas e ela voltou para casa.

De repente ficou tão frio que eles puderam ouvir algo quebrando. De manhã, a garota disse para a avó colocar uma chaleira cheia de gordura no fogo. Foi ficando cada vez mais frio lá fora. Quando eles perceberam, viram um wendigo tão alto quanto uma árvore. À medida que ele caminhava as árvores quebravam e gelo se formava sobre o lago.

Ele caminhou direito pelo caminho de gelo formado no lago. A garota tinha dois cachorros. Ele tinha um. Então os cachorros mataram o cachorro do wendigo. Ela cresceu mais e mais. Ela pegou a vara, que se transformou em metal e nocauteou o wendigo. Então acertou ele com a outra vara e o matou. Ela bebeu a gordura e ficou menor e menor.A tribo cortou o wendigo em pedaços. Ele era todo de gelo, exceto no centro, onde havia apenas um homem. As pessoas ficaram felizes e deram à garotinha tudo que ela queria.

Conto de John Mink, coletado em Court Oreilles, 1941 por Joseph

Casagrande.

Nota:

* Sumac: Arbustos ou pequenas árvóres do gênero Rhus.

Fonte: Wisconsin Chippewa Myths & Tales: And Theur Relation to Chippewa Life

Adão O Golem

Adão O Golem

(extraído de Árvore das Almas: A Mitologia do Judáismo)

Quando Deus decidiu criar Adão, ele pegou pó dos quatro cantos do mundo,Golem_and_Loew fez um bolo, misturou com água e fez barro vermelho. Desse barro ele criou um corpo sem vida, o primeiro golem, esticado de uma ponta do mundo até a outra. Tão largo ele era que a Mão de Deus podia repousar sobre ele. Tão largo ele era que aonde Deus olhava, lá estava ele. Esse é o significado de “Seus olhos vêem minha substância sem forma” (Salmos 139:16). Tão grande ele era que os anjos se enganaram pensando que ele era Deus. “Salve! Salve! Salve  O Senhor dos Exércitos!” Então Deus adormeceu Adão e ele acordou como um mero homem mortal.

Mas enquanto ele dormia, Deus sussurrou nos seu ouvido os segredos da Criação e mostrou a Adão os justos de todos as gerações, e também os ímpios, até o final dos tempos quando os mortos se levantarão. Sem dúvida, Deus mostrou todos os homens virtuosos que iriam descender dele, cada geração de juízes, escribas, profetas e líderes. Assim como mostrou cada geração de santos e pecadores.

Quando Adão teve sua vida soprada, ele mal lembrou do que o Criador falou, mas em seus sonhos ele podia ouvir a voz de Deus recontando os mistérios e dizendo o que iria acontecer nos dias que virão. Adão viajaria para esses lugares e veria tudo pessoalmente. E desde que há uma faísca da alma de Adão em cada um de seus descendentes, há ainda uns poucos em cada geração que ainda ouvem a voz de Deus em seus sonhos.

NOTAS:

  • Diz-se que no século 16, o rabino Loew ou Maharal de Praga criou um golem para proteger os judeus dos ataques anti-semitas. Depois de algum tempo, ele se tornou cada vez mais violento com passar do tempo. Em algumas lendas até se diz que ele se virou contra os judeus por ter se apaixonado e rejeitado pela mulher. Rodolfo II, pediu que ele matasse o golem, então o rabino apagou a primeira letra da testa do ser.  O corpo do golem estaria guardado no ático da Nova Velha Sinagoga e dizem que mesmo durante a Segunda Guerra mundial os nazistas não se atreveram a abrir o local.
  • Para dar vida a um golem, escreve-se um dos nomes de Deus em sua testa, pedaço de papel  na boca do golem or escreve-se em seu corpo. Também se poder escrever a palavra Emet (אמת, “verdade” em hebraico) em sua testa. Se apagar a primeira letra aleph em Emet para formar Met (מת, “morte” in hebraico, quando a letra aleph é apagada), o golem é desativado;
  • kaddishwpfNo episódio Kaddish do Arquivo X, o personagem Isaque é assassinado. Após a sua morte, alguém igual a ele começa a assassinar os culpados pela sua morte. No final se descobre que sua noiva, Ariel, fez um golem à imagem dele (sendo nesse caso o golem criado por causa do amor e não pela sede de vingança). Assim ela esperava realizar o casamento, interrompido com o assassinato de Isaque. Eles se “casam”, e ela o desativa apagando a letra aleph que estava escrita nas mãos dele. O golem volta ao pó.

Mais sobre golems:

http://www.jewishencyclopedia.com/view.jsp?letter=G&artid=334

en.wikipedia.org/wiki/Golem

http://butenessa.blogspot.com/2009/02/o-golem-de-loew.html

Wendigo O Espírito Canibal

Em um episódio de Sobrenatural, Sam e Dean resolverm ajudar uma garota a encontrar seu irmão desaparecido em um acampamento de Colorado. Logo eles percebem que trata-se do Wendigo, lendária criatura canibal e que segundo a série, acorda a cada 23 anos para estocar carne humana e volta a hibernar. Ele é morto quando Dean acerta o seu coração usando um sinalizador, queimando assim o seu “coração de gelo”.

Parte da mitologia alonquina, principalmente das tribos Cree e Ojibua, o wendigo tem muitas aparências segundo as lendas, tanto pode ser um tipo de pé-grande canibal, com longos dentes e um silvo pertubador que pode ser ouvida à distância, quanto pode ser um ser um esqueleto ambulante, com pele cinza, olhos fundos de cadáver, e que às vezes só pode ser visto de lado, porque de frente ele aparenta ser apenas uma linha fina. Outro aspecto é sua fome incontrolável, quanto mais se alimento mais tem fome… Pode comer dezenas, centenas mas sempre terá fome… Por isso o wendigo é símbolo de ganância e insaciedade. Outra característica é seu odor. Quando um wendigo está perto se sente um odor de podridão sem igual, como se carcaças estivessem ao seu redor.

800px-Muir_Wood11No conto de Algernon Blackwood, o wendigo aparentemente toma conto do corpo do guia, e o faz desaparecer na mata. Contemporâneo de Lovercraft, ele cria um clima de imenso terror onde não se descobre se tudo é real ou alucinação coletiva… O guia começa a ouvir uma voz sibilante e carvernosa o chamando, sente um cheiro ruim e estranho e desaparece na mata. O conto descreve o que se chama “febre das matas”, quando tudo aquilo (silêncio, mata, solidã0) engloba o homem de tal maneira que ele corre para a floresta de onde não mais retorna, vítima da febre.

Outro aspecto é sua fome incontrolável, quanto mais se alimento mais tem fome… Pode comer dezenas, centenas mas sempre terá fome… Por isso o wendigo é símbolo de ganância e insaciedade. Outra característica é seu odor. Quando um wendigo está perto se sente um odor de podridão sem igual, como se carcaças estivessem ao seu redor.

Parece ser o que acontece como guia, mas depois de muito procurar, o restante do grupo, senta ao redor da fogueira e ouve um som vindo do alto das árvores… Chamado por um deles, uma coisa cai no acampamento. É o guia, mas totalmente transfigurado… Pele pendurada no corpo, olhar feroz e alucinando, olhos esbugalhados, voz vinda das profundezas….O wendigo dele se apoderou.

O mito do wendigo está relacionado à prática do canibalismo. Muitas vezes, devido a fome e frio, principalmente durante o inverno, alguém recorria ao canibalismo para sobreviver. Fazendo isso, ele seria possuído pelo espírito do wendigo e se tornaria um.

Então tanto existe o wendigo enquanto criatura, peluda ou não, como também existe a possessão do espírito demoníaco do wendigo.

Em algumas lendas desse povo, alguém também pode se tornar um wendigo se necessário para proteger seu povo ou lar de algum perigo. A pessoa se torna um gigante e depois de passado o perigo ele pode retornar à forma humana ou se embrenhar no mato para nunca mais aparecer.

Chamado por um deles, uma coisa cai no acampamento. É o guia, mas totalmente transfigurado… Pele pendurada no corpo, olhar feroz e alucinando, olhos esbugalhados, voz vinda das profundezas….O wendigo dele se apoderou.

Em um conto lido por mim, também podem se apresentar wendigos bons e maus… Como no caso do casal que vivia com o filho e foi visitado pelo wendigo. Ele nada fez ao casal, apenas ficou se servindo da caça trazida pelo homem e foi embora dando de presente um arco e flechas mágicos…. Porém tempos depois, a mulher estava sozinha e vendo outro wendigo se aproximando, não teve medo. Este ao chegar perto se mostra hostil e ela é morta quando tenta fugir.

(…)O próprio índio reconheceu os sintomas e admitiu que iria se tornar o monstro, pedindo que alguém o matasse antes disso… Então deixaram o irmão dele para a tarefa, ficando por perto para ajudá-lo se necessário. Ele acertou o coração do “wendigo”, mas não houve sangue(…)

Também na literatura encontramos a “psicose do wendigo”, quando mesmo com comida à disposição, a pessoa come carne humana. Um dos casos mais famosos é o de Swift Runner, um caçador de Alberta, que comeu sua mulher e cinco filhos, mesmo a uma distância relativamente curta do posto de abastecimento. Ele foi julgado e condenado em Fort Saskatchewan.

Outro caso famoso é do chefe Cree e xamã Jack Fiddler, que entre seu povo era respeitado por localizar e exorcizar wendigos, matando alguns índios no processo. Ele e seu irmão foram julgados culpados por um tribunal, mas ele até o fim insistiu que estava livrando o povo de um mal maior e que poderia se espalhar se nada fosse feito.

Porém, para essas tribos é aceitável matar um wendigo. Casos foram julgados em que índios eram réus por esse motivo. Como Machekequonabe, uma índia que matou o seu pai adotivo, que estava possuído pelo espírito do wendigo.

Em outro caso índios Cree observaram que um membro do grupo estava se tornando um wendigo. O próprio índio reconheceu os sintomas e admitiu que iria se tornar o monstro, pedindo que alguém o matasse antes disso… Então deixaram o irmão dele para a tarefa, ficando por perto para ajudá-lo se necessário. Ele acertou o coração do “wendigo”, mas não houve sangue, então os outros vieram e acertaram o moribundo com pedaços de pau e queimaram o corpo em uma estaca. Para matar o wendigo é designado sempre um parente, assim se evita que a família queira vingança contra o carrasco.

Também um índio de nome Abisahibs matou uma família inteira em Yor Factory. Ele foi posto a ferros por um comerciante de Hudson´Bay. Ele foi solto porque gerou uma comoção entre os índios do local, que temiam caçar com ele por perto, mesmo preso. Mas mesmo solto ele não deixou o local e foi preso novamente, talvez pela própria segurança. Então os índios Cree resolveram fazer sua própria justiça, tiraram ele da prisão, o mataram com um machado e queimaram o corpo para que o espírito não os assombrassem.

O wendigo é contado em lendas e documentos oficiais. Espírito da floresta ou simplesmente faminto por carne humana, ele não mais assombra como antes. Porém, nos primórdios da colonização quando a floresta ainda “chamava” pelos incautos penso como seria estar só naquela imensidão solitária ouvindo os ruídos da mata sem saber exatamente o que seriam….

Só, naquele local o homem deveria ser possuído por algum mal ancestral que o faria novamente ser o caçador bestial de outras épocas, predando até mesmo a seus semelhantes.

Esse é chamado demoníaco do wendigo, o espírito canibal.

http://books.google.com.br/books?id=MJTuqyabJTgC&pg=PA75&dq=wendigo&as_brr=0#v=onepage&q=wendigo&f=false

http://www.coursework.info/GCSE/Law/The_case_R_V_Machekequonabe__a_pagan_Ind_L112424.html

http://www.gutenberg.org/etext/10897

Mais sobre monstros canibais:

https://casadecha.wordpress.com/2009/08/04/romasanta/

Jormungand A Serpente de Midgard

Quando o fogo e o gelo se encontram as conseqüências podem ser nefastas. Loki, deus do fogo casou com a deusa Angrboda. Da união com Angrboda nasceram Fenrir, um lobo gigantesco com força extraordinária; Jormungand (ou Jormungandr), uma serpente gigante e Hel, a rainha do Inferno.

Odin, o pai dos deuses, os pegou e levou para sua fortaleza, temeroso do que eles pudessem fazer. Decidiu ele atirar Jormungand (que significa serpente lobo) em Midgard, ou seja a Terra. Caindo no oceano, lá ela ficou, sem que ninguém ousasse incomodá-la… Cresceu cada vez mais, tanto que seu corpo dá a volta ao mundo… Os marinheiros a chamaram de serpentede de Midgard, a serpente que mora na Terra, o local entre a morada dos deuses e a terra dos mortos.

Em um desses encontros, a serpente foi transformada em gato gigante pelo rei gigante Útgarða-Loki que desafiou Thor a levantá-la… Ele tentou mas o máximo que conseguiu foi erguer o gato o bastante para tirar um de suas quatro patas do chão, mesmo assim o gigante reconheceu que foi um grande feito!

Segundo o poema escandinavo Edda, quando chegar o Apocalipse (Ragnarok) ela vai ser cuspida do mar de volta à terra, onde vai envenenar os céus. Thor vai acertar sua cabeça com seu martelo, mas antes de morrer Jormungand vai cuspir veneno no deus do trovão, que vai caminhar exatos nove passos e morrer. Com todos os antigos deuses mortos, outros vão nascer para ocupar seus lugares.

Fontes:

en.wikipedia.org/wiki/Jörmungandr

http://www.scribd.com/doc/12755580/Lake-and-Sea-Monsters

Leia mais:

https://casadecha.wordpress.com/2011/04/29/tradicoes-relacionadas-a-thor/

https://casadecha.wordpress.com/2011/05/02/jutuls-e-os-gigantes-das-montanhas/