Kitsune

Estátua de kitsune no portal principal de Fushimi Inari-taisha , Kyoto.

Kitsune é a palavra japonesa para raposa. Ela pode se transformar na cópia exata de qualquer pessoa, enganando a todos ao seu redor.

Elas podem viver tanto livres nos campos, como nas cidades. Algumas raposas casam-se com humanos, mas durante a noite se transformam novamente em raposas. Outras podem decidir ser servos na casa de alguém, trabalhando na cozinha. Uma desculpa muito usada para evitar que alguém da família se casa com uma pessoa de uma família indesejada é dizer que uma kitsune trabalha na casa dela. Assim a pessoa desiste de casar.

A kitsune pode produzir fogo (kitsune-bi ou fogo de raposa), se duas esfregarem suas caudas ao mesmo tempo. Ela também pode, até certo ponto, respirar fogo. A kitsune pode também fazer “lanternas de raposa”‘, produzindo pequenas bolas de fogo que flutuam ao seu redor, iluminando o seu caminho. Esse fogo pode ser usado como arma ou como um brinquedo.

De acordo com com Kiyoshi Nozaki, a palavra kitsune era uma onomatopéia. Kitsu representava o ganido da raposa e acabou tornando-se o nome para raposa. Kitsu é uma palava arcaica, hoje se usa kon kon ou gon gon para se designar raposa.

A kitsune possuem uma jóia chamada “bolas de kitsune” (hoshi no tama – bolas das estrelas) . É uma bola pequena, branca, não tem luz própia (apesar de alguma estórias dizerem que ela brilha com o fogo da raposa) e nem tem poder algum. Jóias são um símbolo comum de Inari, e representações das raposas sagradas de Inari sem as jóis são raras.

Algumas pessoas dizem que essas bolas carregam parte da alma da kitsune e também de suas habilidades mágicas. Se separadas por muito tempo da jóia, elas morrem. Essa também é a única parte delas que elas carregam quando se transforam em raposas e humanos. A raposa vai carrega a bola em sua boca ou em suas caudas e enquanto em forma humana, elas vão carregá-las em qualquer lugar, preferencialmente em um cinto. Se alguém surrupiar a bola de uma kitsune, ela pode obter favores desta, se fizer a kitsune prometer que vai dar ajuda pela devolução da bola.

kitsune-bi

Muitas vezes a raposa é dita como mensageira de Inari, principalmente se for branca. Podem ser tão poderosas que quase chegam a ser deuses. Geralmente, quando os empregados vêm de outra província, as pessoas ficam desconfiadas de que podem ser raposas… Mas algumas vivem praticamente icógnitas, indo e vindo das aldeias quando bem entendem. Mas mesmo em forma humana, pode acontecer que a sombra projetada no chão seja de uma raposa, ou pode acontecer que mesmo transformada, ela ainda tenha cauda de raposa. E também os espelhos podem revelar sua verdadeira identidade.

De acordo com com Kiyoshi Nozaki, a palavra kitsune era uma onomatopéia. Kitsu representava o ganido da raposa e acabou tornando-se o nome para raposa. Kitsu é uma palava arcaica, hoje se usa kon kon ou gon gon para se designar raposa.

Uma das mais velhas estórias a respeito da raposa provém uma definição etimológica para a palavra. Hoje em dia se sabe que o conto é “falso”.

Ono, um habitante de Mino passou muito tempo pensado em achar uma mulher de beleza ideal. Um dia ele encontrou uma linda mulher no pântano e casou com ela. Assim que nasceu seu filho, o homem resolviu criar um cachorrinho, que à medida que crescia ficava mais hostil com a esposa. Ela implorou para  o marido matá-lo, mas ele se recusou. Um dia o cão a atacou com tanta ferocidade, que ela se transformou em raposa e fugiu.

“Você pode ser uma raposa,” Ono gritou para ela, “mas você é mãe de meu filho e eu te amo. Volte sempre que quiser, você será sempre bem vinda”

Assim toda noite ela voltava para os braços dele.

Kunitarō_Sawamura_II_as_Kitsune_Tadanob

Porque a raposa retornava toda a noite como humana mas de dia deixava a casa como raposa, ela foi chamada Kitsune. Em japonês clássico, kitsu-ne significa venha e durma, e ki-tsune significa venha sempre.

A kitsune pode produzir fogo (kitsune-bi ou fogo de raposa), se esfregarem suas caudas ao mesmo tempo. Ela também pode, até certo ponto, respirar fogo.

A kitsune é divida em dois grupos, Kitsune e Nogitsune, “Kitsune” seria a raposa bondosa e  “Nogitsune” (lit. “raposa selvagem”) significa raposa má ou renegada.

Edifício Principal do templo Fushimi Inari-taisha

Edifício Principal do templo Fushimi Inari-taisha

As raposas seguem certas regras de conduta, geralmente estabelecidas pela raposa mãe de dez caudas, Inari ou mesmo outras, e que podem incluir nunca ferir alguém a não ser se ameaçada, nunca matar, manter a palavra a qualquer custo e outras coisas relacionadas.  Mas além dessas raposas de boa índole temos aquelas que gostam de pregar truques em samurais orgulhosos e nobre corruptos, e etc. Para distinguir aqueles que servem Inari das que não servem, é só procurar por aquelas que tem cachecóis vermelhos no pescoço.

Uma kitsune pode se manifestar de diferentes formas: uma raposa, uma pessoa com cabeça de raposa uma pessoa normal mas extremamente atrativa. Cada uma das formas absorve muito energia da kitsune, principalmente a última. Em todos os casos, a cauda será visível, a menos que ela faça um esforço adicional.

“Nogitsune” são kitsune que não seguem nenhuma regra e vivem de acordo com sua vontade, elas não obedecem a Inari ou a ninguém e são consideradas más. Podem ferir inocentes, matar mortais, fazer fazendeiros não ter sucesso em sustentar a família. A raposa de nove caudas da lenda chinesa e outros países, como o Japão, é identificada como uma provável “Nogitsune.”

A maior parte das estórias de kitsunes, citam somente kitsunes fêmeas, mas a proporção deve ser a mesma, é que sendo o Japão uma país patriarcal é muito mais comum que se escrevem estórias que citem a mulher como uma espécie de femme fatalle.  Mas há estórias de kitsunes seduzindo donzelas, e o relacionamento com kitsunes deixa a mulher sofrendo de um terrível mal físico. O mesmo acontece com os homens. É uma sensação parecida com a de exaustão, daí deduzindo que talvez elas absorvam a força vital, como os súcubos. Mas deve notar que esse tipo de exaustão não acontece com humanos que se relacionam as kitsunes de boa índole.

Uma kitsune pode se manifestar de diferentes formas: uma raposa, uma pessoa com cabeça de raposa uma pessoa normal mas extremamente atrativa. Cada uma das formas absorve muito energia da kitsune, principalmente a última. Em todos os casos, a cauda será visível, a menos que ela faça um esforço adicional. Se ela ficar bêbada, pode se descuidar e a cauda pode aparecer. A metamorfose vai fazer ela ficar com fome, porque absorveu muita energia dela.

Alguns acreditam que a verdadeira forma da kitsune é de um espírito ou fantasma e pode interagir com humanos de três formas: possuindo um mortal, manifestando-se ou criando um “avatar.” Manifestação implica na criação de corpo físico que acaba consumindo muito chi (energia vital) da kitsune, criando um corpo ágil e forte, mas não deixando muito mais espaço para outras ações.

Criar um avatar cria um corpo mais fraco com menos chi, só que facilmente destrutível, mas com economia de chi para realizar outras proezas. Quando o corpo da kitsune é destruído ela volta a sua verdadeira forma espiritual, essa sua mais vulnerável forma, apesar de que nessa forma espiritual os ataques físicos surtem pouco efeito.

Criar um avatar significa possuir um corpo de um defunto ou uma criança não nascida. Este seria o melhor meio de permanecer no mundo dos humanos. Há estórias de pessoas que morrem e se tornam kitsunes. Isso significa ou que a kitsune possuiu o corpo ou a pessoas se libertou do círculo de nascimento e renascimento e se tornou imortal. Em qualquer desses casos, o corpo ficou sem alma e a kitsune pode tomar posse dele. Para fazer isso é necessário que o corpo não tenha sido propriamente sepultado e santificado.

Alguns acreditam que a verdadeira forma da kitsune é de um espírito ou fantasma e pode interagir com humanos de três formas: possuindo um mortal, manifestando-se ou criando um “avatar.” Manifestação implica na criação de corpo físico que acaba consumindo muito chi (energia vital) da kitsune, criando um corpo ágil e forte, mas não deixando muito mais espaço para outras ações.

Enquanto em um corpo mortal, ela tem algumas habilidades que possuiria enquanto espírito verdadeiro. Isso significa metamorfose até certo ponto, e muitas vezes a cauda vai aparecer. Também poderá criar ilusões, causando má sorte a quem as vê.

Possuir uma criança ainda não nascida traz outros problemas. A mãe pode ficar doente ou fraca e quando a criança nascer é mais provável que a mãe morra. A kitsune irá crescer normalmente e se adaptar à vida mortal, e eventualmente ganhar muito dos seus poderes. Uma kitsune com corpo mortal pode mudar de forma.

Parece que muitas kitsunes, quando tomam conta de um corpo mortal, preferem tomar a forma de uma raposa, em vez de um mortal.

A kitsune, cuja verdadeira forma é espiritual, não consideradas mais do que almas com uma certa carga de chi, então matar uma kitsune é algo meio difícil de entender, já que elas já fazem parte do mundo espiritual e estão só se manifestado entre os humanos, mas de acordo com alguns, se pode “matar” uma kitsune. Essas formas só se aplicam às kitsunes “mortais”.

1) Devorados por um Dragão ou Oni (Demônio). Elas podem escapar de serem devorados por qualquer ser, se mudarem para sua forma espiritual e passarem através da criatura, mas não escapam de dragões e oni. Quando comidas por eles sua energia espiritual (chi) é absorvida e digerida até o ponto em que ela fica faminta e morre.

2) Exorcismo: uma kitsune pode ser totalmente destruída se for feito um determinado tipo de poderoso exorcismo.

4) Uso de armas mágicas ou sagradas: isso é muito raro e a fraqueza menos conhecida das kitsunes e depende da interpretação da pesoa. Algumas armas sagradas podem agir sobre elas como as balas de prata agem em lobisomens, outros dizem que matam até a forma espiritual ou o efeito pode variar.

Nota:

Para  ler uma lenda sobre a kitsune: “A estória de um jovem samurai que copiou o Sutra de Lótus em troca do descanso da alma de uma raposa” clique aqui

fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Kitsune

http://www.jh-author.com/kitsune.htm

http://www.narutobase.net/forums/naruto-manga/26515-japanes-myth-nine-tail-fox-kistune-kyuubi.html

http://www.scribd.com/doc/3870634/Kitsune-Japans-Fox-of-Mystery-Romance-and-Humor-by-Kiyoshi-Nozaki?autodown=pdf

http://starfox.wikia.com/wiki/Fox_McCloud

http://en.wikifur.com/wiki/Kitsune

http://www.arizonaenergy.org/Analysis/MakingSense/Chi%20&%20Energy.htm

http://www.cyberus.ca/~foxtrot/kitsune/kitsune6.htm

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em agosto 10, 2009, em china, contos, japão, lendas, seres míticos e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: