O verme de Linton

Somerville Stone

A Igreja de Linton. Na entrada há os dizeres:

The wode Laird of Laristoune
Slew the worm at Wormes Glen
and wan all of Linton Parochine

O insano Lorde de Laristoune

Matou o dragão no Covil dos Vermes

e ganhou a gratidão da paróquia de Linton

O Verme de Linton

Apesar do Monstro do Lago Ness ser o monstro mais conhecido da Escócia, há uma lenda escocesa que fala do verme de Linton, um dragão que morava em uma caverna em Linton Hill, um morro em Roxburgshire hoje conhecido como “Buraco do Verme.

Antes de qualquer coisa é bom esclarecer porque ele é chamado de verme. Verme é outro termo usado para dragão. Orme or worme é o antigo termo nórdico para serpente, assim como no inglês arcaico, “Wyrm”tem o mesmo significado. Parece ser atribuído a todos os dragões sem pata, embora algumas lendas sobre o dragão de Linton afirmar que ele tinha pequenas patas e asinhas. De qualquer forma, há o mais variado tipo de dragões.

Verme é outro termo usado para dragão. Orme or worme é o antigo termo nórdico para serpente, assim como no inglês arcaico, “Wyrm”tem o mesmo significado.

Segundo algumas lendas, na verdade o dragão seria um cruzamento entre um dragrão e uma serpente.

Essa besta mítica e mencionada por Sir Walter Scott e é uma das lendas da região conhecida como Scottish Borders, que fica na fronteira da Inglaterra. Data do século 12. O mito é muito similar à famosa lenda inglesa do Verme de Lambton. Interessante notar que Linton não ficava muito longe da Inglaterra, inclusive sendo citado por alguns “que estava a apenas a um passo de distância da vila”.

O animal aparecia ao nascer e pôr do sol, devorando tudo o que via pela frente e era invulnerável a qualquer tio de arma. O local se tornou inóspito e sem vida devido à predação da besta.

Um lorde local, John de Somerville de tanto que ouviu falar do animal, que tinha várias formas nas versões contadas: alado, sem asas, com pés e etc, resolveu ir até Linton para ver ele mesmo. Foi até a caverna, ficou espreitando de um local seguro, estudando os hábitos do dragão.

Ele verificou que ele mantinha a boca aberta durante algum tempo, se a presa fosse grande demais para ser engolida. Baseado nisso, bolou um plano, foi até o ferreiro local e pediu para colocar rodas na ponta de uma lança e na ponta da lança colocou uma rodinha embebida em breu para acender quando fosse necessário. O menor toque da ponta da lança faria a roda cair. Passou um tempo praticando o uso da arma com o cavalo, assim ele se acostumaria com a fumaça.

Dizem que os espasmos de morte do dragão é que deram origem à estranha topografia do lugar e fez a região ser conhecida como “wormington”.

Armado da engenhoca partiu da vila. As pessoas, principalmente os velhos, lançavam sobre ele um olhar piedoso, como que acreditando que ele era um tolo que não voltaria de sua empreitada.

Ao anoitecer ele e seu servo se aproximaram do covil do animal. Ele montou o seu cavalo e quando a besta saiu da caverna o servo acendeu o fogo. Como numa justa, ele tocou seu cavalo em direção do dragão e o movimento fez com que a roda de fogo entrasse na garganta do animal, assim que ele abriu a boca tentando engolir cavalo e cavaleiro.

Dizem que os espasmos de morte do dragão é que deram origem à estranha topografia do lugar e fez a região ser conhecida como “wormington”. O animal voltou para a caverna e morreu, sua cauda trouxe abaixo a montanha e o enterrou para sempre.

Sommerville foi nomeado Falconeiro real e se tornou o primeiro Barão de Lintoune. A linhagem se encontra extinta atualmente. Na Igreja de Linton há um dragão esculpido que seria uma homenagem à bravura do herói.

Mais estórias sobre vermes:

https://casadecha.wordpress.com/2009/05/13/rei-verme/

1) Wormington

Nome para um local em Gloucestershire, inscrito no livro de Domesday (livro de 1086, editado no reinado de WIlliam I da Inglaterra, algo como um censo). O siginificado é propriedade de Wermetune (Wermetune´estate). Sendo que o tune vem do inglês arcaico tūn (barril ou medida de líquido equivalente a 954 litros) associado com um homem chamado Wyrma’.

Sobrenome: Wormald

Este nome interessante e incomum de origem anglo-saxônica, e é um sobrenome local derivado de lugares chamados “Wormald” ‘nas paróquias de Barkisland e Rishworth em West Yorkshire, ou a partir do local denominado’ Wormhill ” em Derbyshire. O nome local “Wormald”, ‘significa “nascente ou riacho de Wulfrun”, derivadas do nome próprio feminino derivado do inglês arcaio do século 7o Século, “Wulfrun”, nome composto pelos elementos “Wulf ‘, lobo e “run”, segredo, aglutinado com o inglês nortista “waell (a)”, riacho, córrego, o sufixo “d” de Wormald não aparece até o séc. 17.

O local chamado ‘Wormhill “é registrado no livro de Domesday de 1086 como “Wruenete”, e significa tanto “colina de Wyrma” ou “colina freqüentada pelos répteis”, que veio do inglês arcaico “Wyrma”, ” serpente “, ou “wyrm ‘, serpente, réptil, aglutinado com “hyll”, colina. O sobrenome pode ser encontrado como Wormald, Wormhall, Wormal, Wormell, Warmoll ou Wormull.

O casamento de John Wormald e Mary Maud foi registrado em Halifax, Yorkshire, em 16 de janeiro de 1658. A primeira grafia desse nome de família é mostrado como o de Alexander de Wormwall, que foi datado 1379 de acordo com a Pesquisa de Declarações Fiscais de Yorkshires, feita durante o reinado do Rei Ricardo XI, Richado de Bordeaux , 1377-1399. Sobrenomes se tornaram necessários quando os governos introduziram impostos individuais. Na Inglaterra este era conhecido como Pesquisa de Imposto. Ao longo dos séculos, sobrenomes em todos o país continuaram a se “desenvolver” muitas vezes levando a espantosa variantes da grafia original.

fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Worm_of_Linton

www.somerville.me.uk/lintonworm.htm

www.mysteriousbritain.co.uk/legends/linton_worm.html

www.morebattle.bordernet.co.uk/history/lintonworm.html

http://www.surnamedb.com/surname.aspx?name=Wormald

p.s.: Fomos homenageados no artigo O Verme De Linton escrita por Sai-konohaa que foi obviamente baseada neste post.

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em setembro 18, 2008, em europa, Inglaterra, lendas e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: