Allerleirauh ou A Criatura de Muitas Peles Parte 2

Assim a Criatura de Muitas Peles viveu em grande pobreza durante muito tempo Ah, linda filha do Rei, o que vai acontecer com você agora?
Então aconteceu uma grande festa estava no palácio, e ela disse ao cozinheiro, “Posso ir para cima um pouco e dar uma olhada? Vou ficar longe das portas.” O cozinheiro respondeu: “Sim, você pode ir para cima, mas em uma hora e meia você deve estar de volta  para varrer
as cinzas “. Então ela pegou sua pequena lamparina, e entrou em seu pequeno quarto, tirou se casaco de peles, e lavou a fuligem de suas mãos e de seu rosto, de modo que sua beleza brilhou, e era como se um raio de sol após o outro saísse da nuvem negra. Então ela abriu a noz, e tirou-o vestido dourado como o sol. Após ter feito isso, ela foi para a festa, e toda a gente abriu caminho para ela, porque ninguém sabia quem era ela, e eles
pensavam que se tratava da filha de um rei. Nisso o rei foi até ela e estendeu-lhe a mão, e dançou com ela, pensando com ela mesmo: “Meus olhos nunca contemplaram ninguém tão adorável!”
 Quando a dança acabou, ela curvou-se para ele e, quando o rei olhou ao redor ela tinha desaparecido, ninguém sabia de nada. Os guardas que estavam de guarda em frente ao palácio foram chamados e questionados, mas ninguém tinha visto.  Ela tinha corrido para a sua pequena sala e rapidamente tirou o vestido, maquiou de preto seu rosto e mãos, colocou sobre o casaco de peles, e  mais uma vez se tornou a Criatura de Muitas Peles. Quando ela chegou na cozinha e estava se preparando para seu trabalho de varrer as cinzas, o cozinheiro disse-lhe: “vamos esperar até o amanhecer, agora vá cozinhar a sopa do rei para mim, eu quero ter conversar um pouco com meus companheiros lá em cima;  mas não se esqueça que você não pode deixar cair cabelos dentro, caso contrário, você receberá nada para comer no futuro! ” Assim, o cozinheiro foi embora, a Criatura de Muitas Peles cozinhou a sopa para o rei. Ela fez uma sopa de pão, a melhor que pôde fazer, e quanto terminou, ela trouxe seu anel de ouro do quarto, e o jogou na caçarola em que a sopa seria servida.

Quando o baile acabou, a sopa foi trazida ao rei e ele a tomou, estava tão boa que ele pensou que ele nunca tinha provado uma sopa assim em toda a sua vida. Mas quando ele terminou a sopa viu um anel dourado no fundo do prato, e ele não podia imaginar como ele
apareceu lá. Então ele mandou chamar o cozinheira à sua presença. O cozinheiro ficou aterrorizados quando ele ouviu a ordem, e disse para a Criatura de Muitas Peles, ‘Você deve ter deixado um cabelo cair na sopa e, se tiver você merece uma boa surra!”  Quando ele chegou diante do rei, o rei perguntou quem tinha cozinhado a sopa. O cozinheiro respondeu, ‘Eu a cozinhei. ” Mas o rei disse: “Isso não é verdade, porque era muito diferente e muito melhor do que qualquer sopa que você tenha cozinhado “.
 Então, o cozinheiro disse, ‘Devo confessar, não cozinhei a sopa, a Criatura de Muitas Peles o fez. ” “Que ela seja trazida perante mim “, disse o rei. Quando a Criatura de Muitas Peles veio, o rei perguntou a ela quem ela era. “Eu sou um pobre criança sem pai nem mãe. ” Então, perguntou a ela, “O que você faz no meu palácio?” “Não sirvo de nada a não se para ter botas atiradas na minha cabeça. ” “Como é que você obteve o anel que estava na sopa? ” Ele perguntou. “Não sei de nada sobre esse anel “, ela respondeu. Então, o rei não pôde descobrir nada, e foi obrigada a libera-la.  Depois de um tempo, houve uma outra festa, e a Criatura de Muitas Peles
implorou o cozinheiro para ir até lá e dar uma olhadinha. Ele respondeu: ‘Sim, mas volte em uma hora e meia para cozinhar a sopa de pão que o rei tanto gosta. ” Então, ela correu de volta para seu quartinho, se lavou rapidamente, e tirou da noz o vestido prata como a lua e o vestiu. Então ela subiu as escadas parecendo como a filha de um rei, e rei foi até ela, feliz por vê-la novamente, e como a dança tinha apenas começado, eles dançaram juntos. Mas, quando a dança acabou, ela desapareceu novamente tão rápido que o rei não pôde ver para aonde foi. Ela correu para o seu quarto e se transformou mais uma vez na Criatura de Muitas Peles, e foi até a cozinha para cozinhar a sopa de pão. Quando o cozinheiro subiu, ela pegou a roca de fiar de ouro e colocou no prato em que a sopa ia ser servida. A sopa foi servida ao rei, que a tomou, e como ele gostou tanto quanto da última vez. Ele chamou o cozinheiro, e ele novamente teve de confessar que a Criatura de Muitas Peles tinha cozinhado a sopa. Em seguida, a Criatura de Muitas Peles veio diante do rei, mas ela disse
mais uma vez que ela era inútil, a não ser para ter botas atiradas sobre sua cabeça, e que ela não sabia nada de roca de fiar douradas.

Quando o Rei fez uma festa pela terceira vez, as coisas não saíram tão bem como das outras vezes. O cozinheiro disse, ‘Você deve ser uma bruxa, Criatura de Muitas Peles, para sempre colocar algo na sopa, para que ela fique muito melhor e mais agradável para o paladar do réu que qualquer coisa que eu cozinhar”. Mas porque ela implorou duro, ele deixou que ela subisse na hora habitual. Agora ela colocou sobre o vestido como brilhante como as estrelas e caminhou até dentro do salão.  O rei dançou novamente com a bela jovem, e ele pensou que ela nunca pareceu  tão bela. E enquanto ele estava dançando, ele colocou um anel de ouro no dedo dela sem que ela visse, e ele ordenou que a dança durasse mais tempo do que o habitual. Quando a dança terminou ele quis segurar as mão delas nas suas, mas ela soltou-se, e disparou tão rápido entre o povo que ela desapareceu da sua vista. Ela correu rapidamente para o seu quartinho embaixo das escadas, isso porque ela permaneceu tempo demais além da hora e meia permitida.  Ela não poderia parar para tirar o vestido bonito, mas só jogou o manto de peles sobre ele, e em sua pressa, ela não se sujou bastante com a fuligem, ficando um dedo branco. A Criatura de Muitas Peles correu para a cozinha, cozinhou a sopa de pão para o rei, e quando o cozinheiro se foi, ela jogou o rolinho de ouro na prato. Quando o rei encontrou o rolinho no fundo, ele chamou a Criatura de Muitas Peles, e então ele viu o dedo branco, e o anel que tinha colocado na sua mão enquanto dançava. Então ele pegou suas mãos e segurou com força, e como ela estava tentando fugir, ela deixou que o vestido de estrelas acabasse brilhand um pouco sob o manto. O rei rasgou-o e o tirou dela. Seus cabelos dourados deslizaram para baixo, ficando em todo o seu pleno esplendor, e ela  não podia mais esconder-se. E quando a fuligem e cinzas foram lavados de seu rosto, ela parecia mais linda do que qualquer pessoa no mundo. Então o rei disse: “Você é minha querida noiva, e nunca iremos nos separar um do outro ” Assim, o casamento foi celebrado e viveram felizes para sempre.

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em março 27, 2008, em contos, europa e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: