Allerleirauh ou A Criatura de Muitas Peles

Era uma vez em um rei que tinha uma mulher com cabelos dourados, e ela era tão bela que você não poderia encontraria ninguém como ela no mundo. Mas então ela adoeceu, e quando ela sentiu que iria morrer, ela chamou o rei e disse: “Se você quiser se casar após a minha morte, não poderá tornar ninguém rainha a não ser que ela é seja tão bela como eu sou, e que tenha os mesmos cabelos dourados que tenho. “Prometo isto”. Após o rei ter prometido, ela fechou os olhos e morreu.  Durante muito tempo o rei não se conformou, e nem sequer pensou em tomar uma segunda esposa. Enfim seus conselheiros disseram:”O rei deve casar novamente, para que possamos ter uma rainha.” Então mensageiros foram enviados para muito muito longe para procurar para uma noiva de igual beleza à da última rainha. Mas não havia ninguém no mundo inteiro, e não havia ninguém com os mesmos cabelos dourados. Então os mensageiros chegavam ao palácio toda vez, sem ter sido capazes de encontrar uma rainha.

 Agora, o rei tinha uma filha, que era tão linda como sua falecida mãe, e tinha os mesmos cabelos dourados. Um dia, quando ela ficou adulta, o pai olhou para ela, e viu que ela era exatamente igual à sua mãe, então ele disse para os conselheiros, “Vou casar minha filha com um de vocês, e ela será a rainha, para ela é exatamente igual à mãe dela, e quando eu morrer seu marido será o  rei.” 
Mas, quando a princesa ouviu a decisão de seu pai a decisão, ela não ficou nada satisfeita, e disse-lhe: “Antes de satisfazer o seu pedido, devo ter três vestidos; um como um dourado como o sol, um prata como a lua, e outro brilhante como as estrelas. Além desses, quero um
manto feito mil diferentes tipos de pele; cada animal em seu reino deve dar um pouco de sua pele para ela.” Mas ela pensou consigo própria, “Isso será completamente impossível, e não casar com alguém que não gosto”.
  O rei, no entanto, não estava ciente do seu propósito, e ele ordenou às mais habilidosas donzelas do seu reino para tecer os três vestidos, um dourado como o sol, outro prata como a lua, e um brilhando como as estrelas, e ele deu ordens para todos os seus caçadores para caçar um de cada tipo de animal do reino, pegar um pedaço de suas peles para fazer o manto de mil pedaços de peles.  Enfim, quando tudo estava pronto, o rei ordenou que o manto fosse trazido a ele, e ele comunicou à princesa e disse: “Amanhã será o seu casamento” Quando a princesa viu que não havia mais esperança de mudar a resolução do seu pai, ela resolveu fugir para longe. Durante a noite, quando todos estavam dormindo, ela arrumou tudo e pegou três coisas do seu tesouro, um anel dourado, uma roca de fiar dourada, e um rolo dourado. Então ela guardou os vestidos dourados, prateados e estrelados em uma casa de noz, jogou sobre si o manto de muitas peles e, sujou suas mãos e rostos com fuligem. Encomendou sua alma à Deus e saiu, viajando toda a noite até chegar a uma grande floresta. E como ela estava muito cansada, ela sentou dentro de uma árvore oca e caiu no sono.  
O sol subiu e ela ainda dormia e dormia, embora tenha fosse quase
meio-dia. Aconteceu que o rei a quem pertencia aquela floresta foi caçar. Quando o seu cães chegaram à árvore, cheiraram, e correram ao redor, ladrando. O rei disse ao caçadores, ‘Veja que tipo de uma besta selvagem está em lá. “Os caçadores foram e voltaram em seguida, dizendo, ‘Na árvore oca mora um maravilhoso animal que não conhecemos, e nunca vimos algo como isso, a sua pele é feito de mil pedaços de peles, mas ele ainda dorme”. O rei disse, “Veja se vocês podem pega-lo vivo e, em seguida, amarra-lo à carroça, e vamos leva-lo conosco.”
 

Quando os caçadores cercaram a jovem, ela acordou e estava com medo, e gritou para eles, “Eu sou um pobre criança, abandonada pelo pai e mãe; tenham pena de mim, e deixem-me ir com vocês”. Então eles disseram-lhe: “Criatura de Muitas Peles, você pode trabalhar na cozinha; vir conosco e varrer as cinzas. ” Portanto, eles puseram ela na carroça e eles voltaram para o palácio. Então eles mostraram-lhe uma pequena sala sob a escada, em que a claridade não alcançava, e disseram-lhe, “Criatura de Muitas Peles, você pode viver e dormir aqui “. Em seguida, ela foi enviada para a cozinha, onde carregou madeira e água, atiçou o fogo, lavou legumes, depenou aves, varreu cinzas, e fez todo o trabalho sujo.

Sobre shironaya

web 2.0 addict, crazy about legends, stories, drawing, cinema, painting. adoro web 2.0, lendas, estórias, desenho, cinema, pintura.

Publicado em março 26, 2008, em contos, lendas e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: