Águia-pescadora e Pássaro-lira

Águia Pescadora usou veneno para pescar. Mas o Pássaro Lira levou todos os peixes...

O lago estava escuro e ainda sob a sombra das árvores. Águia pescadora estava tão retinha quanto o lago, deitado de costas com as pernas esticadas, e dormindo profundamente.  Ele passou a manhã  esmagando bagas venenosas. Quando ele terminou, ele derramou o suco na piscina e foi dormir, sabendo que quando ele acordasse os peixes estariam mortos e flutuando na superfície. Ele sorriu enquanto dormia e sonhava com a grande refeição que ele logo teria.

Ele não acordou nem mesmo quando o Pássaro Lira saiu do mato e começou a espetar os peixes. O veneno não tinha tido tempo para fazer efeito, mas logo o recém-chegado já tinha uma boa oferta de comida. Ele acendeu um fogo e começou a assá-los.  Águia Pescadora acordou com um susto e percebeu que o Pássaro Lira tinha deliberadamente se aproveitado dele.  Ele foi pela retarguarda dele, calmamente recolheu as lanças que Pássaro Lira tinha colocado ao seu lado, e retirou-se para o seu abrigo das árvores.  Ele escolheu a árvore mais alta que ele pode encontrar, subiu ao topo, e atou as lanças ao tronco.  De volta no chão, ele olhou para cima e admirou o seu trabalho.  As lanças pareciam um monte de penas no topo da árvore. Ele se escondeu debaixo de um arbusto e esperou para ver o que iria acontecer.

Pássaro Lira fez uma refeição descontraída e depois estendeu a mão para recolher suas lanças. Seus dedos tatearam e não conseguiu encontrá-las.  Ele procurou por toda parte com uma expressão perplexa, mas não havia nenhum outro lugar onde ele poderia ter as deixada.  Águia Pescadora riu silenciosamente enquanto ele olhava de seu esconderijo e o viu correr voltas e voltas ao redor do lago, olhando para todos os lugares pelas lanças desaparecidas.  Foi até mais engraçado quando ele começou a falar sozinho.

“Alguém esteve aqui enquanto eu estava cozinhando os peixes”, disse em voz alta Pássaro Lira. “Quem poderia ser? O que ele faria com eles? Ele poderia tê-los enterrado, mas não há nenhum sinal de pertubação do solo.  Ele poderia ter fugido com eles, é claro, mas eu veria as marcas fuga pela floresta.  E ele poderia escondê-los em uma árvore. “

Ele caminhava pela mata, olhando para cima e para baixo das árvores, até que ele viu as lanças agitando na brisa. Pássaro Lira era um homem que não acreditava no trabalho se não houvesse uma maneira mais fácil de fazer as coisas.  Ele convocou os espíritos da água, dos córregos e inundações, e ao seu comando a água do lago subiu rapidamente e o levou até o topo da árvore, onde ele recuperou as lanças, afundando-se no chão quando a água recuou.

Pobre Águia Pescadora foi pego na enchente e varrido para o mar. Ele nunca foi capaz de voltar ao seu lago tranquilo de novo, e agora vive na costa do mar.

Pássaro Lira nunca esqueceu a sua experiência naquele dia. Onde quer que vá, ele procura pelas suas lanças na copa das árvores.

http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1ssaro-lira_soberba

http://en.wikipedia.org/wiki/Fish_hawk

http://www.girafamania.com.br/americano/brasil_fauna_gavioes.htm

About these ads

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s